Adam Driver comenta quais são seus cinco momentos favoritos da história do teatro moderno.

Tradução pela ADM: Cíntia Alves